Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Acertos de uma Miúda

"I felt in love for a whisper, a demon, a torment. I felt in love for a madness."

Nada de amor por hoje, talvez

Não falo mais de amor, pelo menos não hoje, não no próximo texto.

 

Surgiram outras coisas, problemas maiores, pessoas melhores, ou talvez, aquele desgaste que vai tomando conta de mim, aquela preguiça de correr atrás de quem não quer ser alcançado. Aquele “me poupe”? segui mesmo esse conselho, estou me a poupar. Estou a guardar as palavras mais doces, para quem for doce comigo, estou a descansar o coração para deixa-lo pronto para disparar por quem não faça com que ele doa, estou até a ensaiar o meu melhor sorriso.

 

Sei que tudo na minha vida, a partir de um certo momento, poderia ter acontecido de maneira diferente se eu tivesse feito escolhas diferentes, e isso tem me magoado profundamente porque estou claramente arrependida das escolhas feitas. Das palavras ditas, das mensagens trocadas. Incrível como depois de tudo o que eu vivi, algumas pessoas ainda têm o dom de superar a capacidade de me magoar...

 

Disse que não falava de amor, eu sei, mas é que tenho sempre de falar, na esperança de que ele ouça e apareça num destes dias que nada nos prometem!

 

Capturar.JPG

 

Conversas do café: Desabafo #4

Acho que se passaram cerca de oito dias desde a última vez que cá vim. Tentei vir mais cedo, mas simplesmente não deu. Falta de tempo, paciência... Tudo.

Sei que só me queixo, só reclamo, nunca estou feliz com a vida mas não posso dizer que sim, só mesmo por dizer que sim. Estaria a mentir se dissesse que estou feliz, que me sinto bem, comigo e com o mundo, que estou bem... Quando não estou.

 

Não sei o que me preocupa mais: o facto de passar dias sem me perceber a mim própria, sem saber que estado de espirito possuo, sem sequer perceber o que vai na minha cabeça, ou o facto de já alguns andarem a reparar que não estou bem. Nunca fui de demonstrar sentimentos, não gosto, não quero. De que vale tentar explicar-me para alguém que nem dá a mínima? Nada.

 

Acho que até tenho medo de me perceber, já não me conheço. Antigamente, conseguia esconder bem o que sentia, agora, não. Estou triste e não dou conta, demonstro infelicidade e não me apercebo.

Espero, sinceramente, que passe rápido, porque esta não sou eu.